O Grande Círculo

grande círculo menor

São organizações regionais onde estão centradas as forças da Alta Cúpula (ou Dinastia). Quando se utiliza o termo “Grande Círculo”, está se referindo a todos os Círculos do mundo em conjunto. Cada Círculo é regido por um ou mais diretores (soberanos), e cada departamento ou ordem possui seus próprios diretores (lordes) — esses cargos são sempre empossados por membros da Dinastia (os mais altos e nobres representantes de um Círculo, que se destacam por linhagem e/ou relevância por competências). Enquanto que o diretor de um Círculo representa a autoridade máxima dentro da instituição, os outros departamentos são providos de autonomia para administrar e organizar suas próprias atividades. Assuntos que demandam a interferência de um diretor soberano são chamados de vis major.

Enquanto que os Círculos se configuram mais como centros de controle e governo, há também o setor acadêmico, responsável por pesquisas, estudos, incentivo cultural, desenvolvimento científico e tutela de novos aprendizes. Embora a tutela não seja exclusiva dos Círculos, podendo ser exercida por um mestre sem vínculo direto com a instituição, para isso, basta que enviem ao Arquivo o pedido de concessão para a tutela do aprendiz. Enfim, os departamentos reconhecidos dos Círculos são: Departamento do Arquivo; Departamento de História; Departamento da Biblioteca; Departamento de Alquimia; Departamento de Astronomia; Departamento da Palavra; Departamento de Cura; Departamento Militar; Departamento de Assuntos da Esfera Exterior; Departamento das Artes Elementais; Departamento de Necromancia e do Oculto; Departamento de Relações Internas. Todos os departamentos são regidos por um lorde, e seus demais membros são compostos por mestres, especialistas, aprendizes e assistentes. Alguns desses departamentos possuem ramificações setorizadas.

Além desses, outras sociedades internas possuem seus próprios âmbitos dentro de um Círculo, como é o caso das ordens: Ordem dos Vigilantes, Ordem dos Mediadores e Ordem dos Exorcistas. Cada uma dessas Ordens trabalha intimamente com um ou mais departamentos do Círculo. Assim como nos departamentos, as ordens são regidas por um lorde e são constituídas por mestres, especialistas, aprendizes e assistentes.

Ao longo dos séculos, os Círculos se apropriaram de castelos, templos, universidades e palácios históricos para fixarem suas sedes, sobretudo a partir do quarto período da Guerra dos Cem Anos, no ano de 1450, quando o primeiro Círculo foi fixado, ao norte da Inglaterra. Apesar disso, há regiões que edificaram suas próprias construções pra sediar o Círculo, como é o caso da maioria dos países latinos, oceânicos e asiáticos. Enquanto que algumas instituições possuem suas próprias maneiras de se refugiarem da esfera exterior, outras coexistem com ela, sob fachadas de sociedades e organizações funcionais.

Cada Círculo possui um tratado próprio com a região onde está situado. É uma espécie de estatuto e acordo formal entre os membros da Dinastia e entre a Dinastia e as criaturas que habitam a respectiva região. É sabido que os deuses interessados participaram da conferência e decretaram exigências particulares para conceder ao Círculo a permissão de ocuparem suas terras. Qualquer quebra com o tratado é passível de se sujeitar ao julgamento dos deuses e ao pagamento do castigo determinado.

A hierarquia fundamental da administração dos Círculos pode ser definida como: Diretor Soberano ➝ Lordes ➝ Mediadores ➝ Mestres ➝ Sentinelas ➝ Aprendizes.

Advertisements
This entry was posted in Uncategorized and tagged , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s